Reconhecer o caminhante

Dom José Alberto Moura
Arcebispo de Montes Claros (MG)

 

Após a ressurreição Jesus se mostra a muitas testemunhas e lhes deu a missão de anunciar a todos sobre quem Ele é e seus ensinamentos. Não bastaria dizer sobre seus milagres. É preciso dar fé à sua natureza divina, além da humana, para não  segui-lo só por interesses ou busca de soluções de ordem sensível e passageira. Sua pessoa veio nos garantir a recompensa se vivermos segundo seus ensinamentos.  Pedro lembra que seremos recompensados de acordo com o que praticamos nesta vida (Cf. 1 Pedro 1,17). Fazendo o “dever de casa” aqui na terra, temos a certeza de que Ele nos dará o prêmio de eternidade feliz.

A caminho de Emaús dois discípulos foram alcançados por um homem, sem eles perceberem que era o próprio Jesus ressuscitado. Qual não foi sua surpresa quando tomava refeição com eles, no lugar para onde se dirigiram. O Mestre abençoou o pão como na última ceia. Abriram-se-lhes os olhos! (Cf. Lucas 24,13-35). Reconheceram quem era  o caminhante com eles!

Nos passos da vida convivemos com muitas pessoas. Às vezes não sabemos quem são. Às vezes são pessoas santas, que podem nos ajudar a santificar-nos também. Podem ser pessoas que precisam de nosso apoio, compreensão, ajuda, promoção, atenção, misericórdia, perdão e solidariedade. Muitas vezes pensamos que vamos ajudar os outros. De repente, somos mais ajudados do que ajudamos. Quem dá de si acaba recebendo mais do que oferece. É preciso o olhar da fé, da comiseração, da humildade, do respeito à diversidade… Muitas vezes podemos julgar mal, discriminar, excluir. Isso pode acontecer até com quem convive conosco no dia a dia… Não é feliz e não é recompensado quem julga mal, condena e espalha “veneno” contra os outros, até pelos meios de comunicação. Isso é feito muito pela internet (whatsApp, facebook e outros).

Quem caminha com reta intenção de fazer o bem ao semelhante, imitando o bom samaritano na parábola que Jesus conta, só atrai para si as consequências de tudo fazer como ao próprio Filho de Deus. Não ficará sem a recompensa. Logo que os dois discípulos de Emaús reconheceram Jesus ressuscitado, voltaram imediatamente a Jerusalém para comunicar o fato aos apóstolos. Também nós, que reconhecemos pela fé a Jesus vencedor da morte e o vislumbramos em todo o semelhante. Nós o ajudamos como ao próprio Mestre e não nos aquietamos enquanto não fizermos tudo para anunciar sua pessoa e seus ensinamentos a  quem pudermos, como verdadeira ação missionária. Aliás, antes de subir ao céu, Jesus deu a missão aos discípulos: “Ide e ensinai a todos a observar tudo o que vos mandei” (Mt 28,20). Afinal, se Ele venceu a morte temos a certeza de que não estamos seguindo a um simples fundador de religião humana a mais, que não tem o poder, por si mesmo, de nos dar a recompensa com a vida eterna feliz!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *